fbpx

Vírus do bem? Lista traz pragas virtuais do passado com funções curiosas

A rede mundial de computadores conectados à Internet já foi bem menor do que é atualmente. Na época, também existiam usuários brincalhões que criavam diversos vírus inofensivos – e por vezes até benéficos. Os chamados “vírus do bem” continham mensagens divertidas, se limitavam a assustar, divertir ou mesmo ajudar internautas ao redor do mundo. Hoje em dia, porém, os tempos são outros. Como remover o vírus dicasdehost.net que promete mudar cor do Facebook Empresa de segurança na Internet lembrou alguns vírus inocentes do passado (Foto: Pond5 ) “Os modernos desenvolvedores de malware não são mais brincalhões cibernéticos e nem novos hackers aprendendo uma nova esfera de atividade”, lamenta o chefe de segurança da Kaspersky Lab, Alexander Goste. “Hoje, praticamente 100% dos vírus são desenvolvidos para apenas um objetivo: roubar dinheiro ou datas confidenciais”, alerta Goste. A empresa  de segurança virtual relembrou os primórdios das pragas virtuais “do bem”, listadas abaixo. 1) Harmless Specimen Criado em 1971, o Harmless Specimen foi o primeiro vírus do qual se tem notícia. O malware inofensivo foi desenvolvido por um funcionário do Ministério da Defesa dos Estados Unidos e ficou conhecido como Creeper devido à mensagem que enviava aos computadores infectados. Toda vez que ele encontrava alguma máquina na rede, até então muito pequena, mostrava “Eu sou o estranho (creeper): me pegue se puder”. O vírus não fazia absolutamente nada e apenas pulava computadores que já continham uma cópia dele para “infectar” outros. 2) Drogado Detectado pela primeira vez em 1988, na Nova Zelândia, era outro que não causava dano algum. “Seu computador está Drogado agora. Legalize a maconha” era a mensagem que enviava aos usuários, uma forma divertida e inusitada de espalhar a reivindicação pelo mundo. A primeira infecção com o “Drogado” se deu por meio de um drive de disquete. 3) Cruncher O Cruncher foi um dos exemplos de praga do bem. Ele utilizava um algoritmo que compactava o arquivo infectado, liberando mais espaço no disco rígido do usuário. Por usar o DIET 1.10 no processo, o usuário podia descomprimir o arquivo facilmente usando programas legais. saiba mais Saiba como identificar sites que podem conter vírus e malware Como remover o Hao123 do Google Chrome e Mozilla Firefox Como identificar extensões do Chrome que levam ameaças ao seu PC Como eliminar vírus do computador e do celular com o Malwarebytes Como remover um vírus do Facebook; veja dicas para limpar seu perfil Qual é o melhor antivírus grátis? Comente no  Fórum do TechTudo.

4) HPS O HPS foi um vírus criado exclusivamente para brincadeiras, que se limitava a copiar toda a tela do computador. Criada para o Windows 98, a praga tinha a peculiaridade de só ser ativada aos sábados. 5) Welchia  A história mais curiosa da lista é a do Welchia. Os desenvolvedores quiseram criar um código malicioso, mas ele nunca chegou a oferecer perigo. Pelo contrário: o vírus ajudava a eliminar o realmente perigoso Lovesan, conhecido também por Blaster. Isso acontecia porque ele imitava o comportamento do Blaster para invadir o computador. Se encontrasse o virus danoso, o Welchia apagava o arquivo do HD. Depois disso, o “vírus do bem”ainda checava se havia alguma atualização no sistema que pudesse reparar a vulnerabilidade que possibilitou a invasão. Caso não encontrasse, ele próprio iniciava o download a partir do site da fabricante e logo após se autodestruir. Via Kaspersky

Comentários no Facebook

× Consulte-nos!